Pages

segunda-feira, junho 08, 2009

"Ler é estar só com o mundo entre as mãos" Marie Darrieussecq

Como primeiro post nesse meu novo blog, resolvi postar um poema francês que gostei tanto a ponto de usar seu título como título do meu blog. No início do ano passado, eu estava fazendo cursinho de conversação na Aliança Francesa aqui de Brasília quando, um dia, minha prof. nos entregou uma revistinha que é sempre entregue aos alunos, a Label France. E, o assunto de destaque da revista naquele trimestre (é uma revista trimestral) era logo o que? Des Livres et des hommes (Livros e Homens). Bom, nessa revista, eu encontrei um poema maravilhoso escrito por Marie Darrieussecq, chamado Être Seul Avec Le Monde Entre Les Mains.

"Lire c'est s'absenter du monde
lire c'est retrouver le monde
lire c'est être seul avec le monde entre les mains
lire c'est être seul en compagnie des autres
lire c'est réfléchir avant de passer à l'acte
lire c'est prendre le temps de penser
lire c'est imaginer
imaginer c'est se mettre à la place de l'Autre
lire est un humanisme
lire c'est être avec l'autre et avec soi-même
lire et écrire c'est le début de l'appartenance au monde
chacun devrai pouvoir lire et écrire dans sa langue
lire c'est être seul et pourtant faire partie du monde

Écrire c'est répondre à cette solitude
sans la remplir
sans imaginer la combler
écrire c'est affronter le vide
écrire c'est être à côté du lecteur
ni à sa place ni au-dessus
écrire c'est compter sur l'intelligence
écrire c'est être seul aussi
mais pas tout seul pas isolé
écrire c'est chercher l'Autre en soi
on peut en faire une maladie
on peut en faire un métier
on peut en faire une extase
écrire c'est incontrôlable mais c'est grammatical
écrire c'est poser des questions sans réponse
écrire c'est répondre à des questions pas posées
écrire c'est refuser les mots de la concorde comme ceux de la discorde
écrire c'est semer le désordre en ravivant la langue
écrire est un humanisme et une malédiction
écrire me tient debout mais creuse aussi des gouffres."

E esta é a tradução livre (feita por mim) desse poema :

Ler é se ausentar do mundo
ler é reencontrar o mundo
ler é estar só com o mundo entre as mãos
ler é estar só na companhia dos outros
ler é refletir antes de passar ao ato
ler é usar o tempo de pensar
ler é imaginar
imaginar é se colocar no lugar do Outro
ler é um humanismo
ler é estar com o outro e consigo mesmo
ler e escrever é o início do ato de pertencer ao mundo
cada um deveria poder ler e escrever em sua língua
ler é estar só e no entanto fazer parte do mundo

Escrever é responder a esta solidão
sem preenchê-la
sem imaginar satisfazê-la
escrever é enfrentar o vazio
escrever é estar ao lado do leitor
Nem no seu lugar nem acima dele
escrever é contar com a inteligência
escrever também é estar sozinho
mas não completamente só, não isolado
escrever é procurar o Outro em si
pode-se criar uma doença
pode-se criar uma profissão
pode-se criar um momento de êxtase
escrever é incontrolável mas é gramatical
escrever é fazer perguntas sem resposta
escrever é responder às perguntas não feitas
escrever é recusar as palavras da concórdia como as da discórdia
escrever é semear a desordem ao reavivar a língua
escrever é um humanismo e uma maldição
escrever me mantém de pé mas também escava abismos.

Eu havia postado esse poema em um dos meus vários blogs. Na época, minha irmã estava lendo O Caçador de Pipas de Khaled Housseini --- e ela não terminou de ler o livro até hoje --- e ela me disse que umas amigas dela contaram o que acontecia com um dos garotos, personagens do livro. Ela me disse que ela se sentia tão mal a respeito do ocorrido com esse personagem que ela sentia vontade de pular aquela parte do livro. Eu disse pra ela que se ela não lêsse aquela parte, ela não entenderia porquê o protagonista da história agiu da forma como agiu quando se tornou adulto. Então, ela me perguntou por quê alguém escreveria uma cena tão violenta e horrível em um livro. Foi então que eu comecei a dizer pra ela o quanto os livros, em geral, são uma invenção incrível! Livros são capazes de fazer vc sorrir ou chorar. Eles têm o poder de te acalmar ou de fazer vc odiar determinado personagem. Eles fazem vc torcer e se alegrar pela felicidade de alguém (nesse caso, de um personagem) e fazem com que vc tenha esperança que outro personagem fracasse. Livros fazem vc pensar; fazem com que vc se coloque no lugar do outro e empatize com ele... mesmo que essa pessoa não exista de fato. Um livro acorda tantos sentimentos que estavam adormecidos em nosso íntimo. Um livro nos possibilita viver outra vida... seja esta "outra vida", uma vida mágica, uma vida feliz...ou até uma vida trágica. Um livro nos possibilita viver um "E se..." de maneira segura. Sem perigos reais. Nós podemos "encarnar" uma pessoa rica, ou uma pessoa pobre; uma pessoa feliz ou uma infeliz, apenas lendo sobre as "vidas" destes personagens...Tudo bem... mas o que isso tem a ver com coisas horríveis escritas em um livro? Bom, qual seria a diversão de ler e escrever um livro se não fosse dessa maneira? Quando vc está escrevendo, vc quer descarregar todos os sentimentos que vc está experienciando naquele momento. Vc quer escrever sobre a raiva que vc sente, sobre o amor, a felicidade, os desejos insaciados, o sucesso, o fracasso, a ira, os gritos que nunca ocorreram, o beijo que vc queria que durasse pra sempre; a esperança que desvanece; o coração que bate acelerado, a sensação das suas vísceras se contraindo; sua dor; sua alegria; a surpresa; a decepção; as coisas não ditas; os momentos mais engraçados que vc teve; um pensamento bobo... Quando vc está escrevendo, tudo parece certo... ou errado; justo ou injusto... exatamente como na "Vida Real". Essa é a mágica do ato de escrever: a possibilidade de contar tudo o que vc está sentindo de forma que, quando alguém ler seus textos, irá pensar sobre o que vc disse.Talvez odeie o que vc disse... talvez adore o que vc escreveu; talvez alguém até se identifique com o que vc escreveu, com algum personagem que vc criou. Mas, o importante é que vc vai afetar o leitor de alguma forma.
Eu adoro ler. Minhas estantes estão cheias de livros empilhados das maneiras mais bizarras. E eu adoro escrever. Vez por outra me arrisco a escrever histórias (mas ainda não escrevi nenhuma pra valer). Eu vou parar por aqui, senão, vou passar um tempão divagando sobre como é maravilhoso ler e escrever.

4 comentários:

Livinha disse...

Eu simplesmente adorei tua esplanação cherie sobre a leitura...
Vc está me saindo uma bela
biblioteca ambulante, com tanto a contar e a repassar a outros sedentos de letras como vc.
Leitura é algo verdadeiramente singular, na intimidade com que comungamos com o autor, que nos possibilita um voo mágico com ele e visualizar outtras tantas coisas mais que nem ele mesmo visualizou....
Tenho que concordar com você em numero genero e grau...
Sabe minha sobrinha, tenho que te dizer que eu amo as letras, a ponto de ve-las bailando nas alturas e fico a brincar com elas que passam pelas minhas mãos como que fugindo e eu vou agarrando uma a uma e dando brilho, formando trilho e vou trilhando nos meus passos dando sincronismo, formando palavras e descobrindo rimas...É bom demais minha linda..Adorei seu blogger.
Bjss

mori-morwen disse...

Que bom que você gostou chérie! :D
Há algum tempo eu já tava querendo fazer esse blog e postar mais coisas relacionadas à literatura. Tenho mais posts pra postar mas em breve farei isso! ;)
Bjinhuuuuusssssssssssssss :*****

MEU MUNDO E NADA MAIS... disse...

Simplesmente Lindo, eu não conhecia o poema,
mas fiquei encantada, com a forma simples e absoluta, do significado: LER E ESCREVER.
Adorei, parabéns pelo blog.

mori-morwen disse...

Obrigada!!!! :D

Eu amei esse texto e quis compartilhar. Foi esse texto que me deu a idéia de fazer um blog para falar sobre essas duas invenções maravilhosas da humanidade: as habilidades de ler e escrever.

Postar um comentário